Princípios Norteadores do meu Trabalho



Através do estudo da PSICOLOGIA confirmei a extensão da nossa complexidade e pluralidade enquanto seres humanos. Somos tão heterogêneos que, na tentativa de compreender nossa psique, foram elaboradas diferentes abordagens teóricas com suas variadas formas de entender o mundo, o comportamento humano e nossos processos mentais e emocionais. Esse contexto multifacetado ampliou meu olhar, me ensinou a honrar a nossa diversidade e a levar em conta a importância fundamental (e também as limitações) do método científico, bem como a adotar, sobretudo, uma visão mais sistêmica e inclusiva na minha forma de trabalhar.

A PSICOPEDAGOGIA me possibilitou conceber o fato de que - não importa a nossa idade ou fase de vida - estamos em constante processo de ensino-aprendizagem através das interações que estabelecemos com a realidade na qual estamos inseridos. Permanecemos descobrindo, conhecendo, desenvolvendo, revendo, testando, experimentando, percebendo, construindo, desconstruindo e ressignificando o mundo e as nossas experiências. E essa dinâmica nos torna agentes de transformação contínua da realidade, do outro e de nós mesmos.

Por meio do estudo da PSICANÁLISE e através da minha prática clínica confirmo a potência dos processos inconscientes e o quanto as nossas vivências primárias são estruturantes do nosso modo de funcionar no mundo. Aprendi sobre a importância de atentar aos sonhos, silêncios, repetições, à escolha de palavras em nosso discurso, ao relacionamento que estabelecemos conosco e com os que estão ao nosso redor. E, muito importante, entendi o quanto é fundamental estar ciente dos meus movimentos enquanto profissional lidando com as emoções e expectativas de outros seres humanos.


O estudo da CNV (Comunicação Não Violenta) veio reafirmar algumas impressões pessoais construídas ao longo dos anos, trazendo ferramentas importantes e muito práticas para convidar as pessoas a uma nova forma de estar no mundo e imprimindo a clareza e a didática que às vezes eu sentia faltar ao me deparar com o "psicologuês" presente nas práticas de Desenvolvimento Humano. A CNV combina com a minha visão de sociedade, areja minha postura, me desperta para os perigos dos rótulos, cânones e olhares viciados e renova minhas esperanças num mundo com pessoas mais conectadas consigo mesmas e que estabelecem relações autênticas e respeitosas entre si.



Priscila Provedel © Copyright - 2012. Todos os direitos reservados. Layout criado por Gabi Layouts