Como escolher um bom psicólogo?


Você chegou à conclusão de que deseja fazer psicoterapia ou levar seu filho para fazer uma avaliação psicológica. Mas como escolher um Psicólogo? O que é importante levar em conta no momento de optar por um dentre tantos profissionais?

Ao questionar-se sobre alguns pontos relevantes, você poderá fazer a sua escolha com mais tranquilidade. Reflita:

1) O psicólogo possui um número de registro no Conselho Regional de Psicologia (CRP)?

Para exercer a profissão regularmente, segundo a Lei Federal n° 5.766, de 20 de dezembro de 1971, todo profissional de Psicologia deve inscrever-se no Conselho Regional de Psicologia do seu local de atuação. Para verificar isso basta ter em mãos o número do CRP do psicólogo, entrar no site do Conselho específico e inserí-lo no "Consulta Profissional". Em São Paulo, por exemplo, você pode fazer este procedimento através deste link.

2) Qual a formação do profissional?

Um profissional bem formado tem maior chance de ser bem sucedido em seus atendimentos. Observe a graduação do profissional, sua especialização e os cursos de aprimoramento que foram realizados. Um bom diferencial é se ele tiver especialização e experiência na área em que você busca atendimento. Um curriculum extenso não é garantia de competência, assim como um curriculum "enxuto" não define que o profissional não realize um bom trabalho. Mas é importante levar em conta o quanto o psicólogo investiu na sua formação e procura se atualizar dentro do seu campo de atuação.

3) Ele foi indicado por alguém da sua confiança ou você pôde testemunhar o resultado positivo do trabalho por ele realizado?

Uma indicação de alguém que já passou por atendimento com um determinado profissional ou conhece o trabalho dele faz diferença. A pessoa pode testemunhar os benefícios que obteve e compartilhar sobre o estilo de trabalho que o psicólogo realiza. Uma outra dica é você ficar atento(a) às pessoas que estão (ou estiveram) em processo de psicoterapia e nas quais você percebeu uma mudança para melhor - se houver espaço e intimidade suficientes, verifique se a pessoa se sente à vontade para passar o contato do profissional que a atende ou se o psicoterapeuta dela possui indicações para lhe fornecer.

4) Ao ler as publicações que ele realiza, você se identifica com o que lê?

Ao fazer a leitura de livros, artigos ou publicações do profissional em redes sociais é possível ter uma ideia sobre a linha de pensamento dele e se a mesma se aproxima da forma que você tem de ver o mundo. Ao simpatizar com o que ele escreve, existe grandes chances de você simpatizar com ele.

5) Você se sentiu acolhido(a), ouvido(a) na primeira entrevista? Estabeleceu-se empatia entre vocês? Você sentiu que poderia confiar naquele profissional?

Esse é um dos pontos mais importantes. De nada adianta ter um curriculum impecável, ter sido indicado pelo seu melhor amigo e ter centenas de seguidores nas redes sociais se, na primeira entrevista, você não se sentir acolhido, visto e ouvido pelo profissional. É imprescindível que você possa confiar no psicólogo que lhe atende e que exista empatia entre vocês para que o trabalho se desenvolva de maneira efetiva. Caso seja necessário, faça mais de um atendimento para avaliar. E não tenha receio de procurar outro profissional se um clima de confiança e empatia não se estabelecer entre vocês.

6) O modo como o psicólogo conduz o atendimento e as técnicas que ele utiliza são confortáveis pra você?

Muito se questiona sobre a abordagem ou "linha" que os profissionais da Psicologia utilizam. Eu escrevi especificamente sobre isso aqui, se você desejar se aprofundar neste item. Porém, o relevante é que, de maneira geral, você se sinta confortável com as técnicas e o modo como o psicólogo conduz as sessões. Quando o processo "flui" e você continua se sentindo visto(a), acolhido(a), compreendido(a), está aumentando a consciência acerca de si mesmo, compreendendo melhor (e transformando) as questões que inicialmente lhe levaram a procurar atendimento é porque as coisas estão caminhando bem.

7) Ele trabalha bem em parceria com outros profissionais?


Um psicólogo deve saber o momento de encaminhar um cliente ao psiquiatra, precisa estar disponível para interagir com a escola no caso de atendimentos a crianças, enfim, é importante que ele trabalhe bem quando um caso é multidisciplinar ou exige interações mais constante entre os profissionais que acompanham seus clientes. Um profissional que se isola em seu saber ou possui limitações para processar diferentes opiniões pode não contribuir para o progresso do seu cliente.

8) A localização do consultório do psicólogo, a acessibilidade e as instalações lhe fazem ficar à vontade?

Uma vez que você irá frequentar o espaço ao menos uma vez por semana é indicado que você se sinta confortável e consiga chegar nos dias e horários combinados. Ser assíduo(a) às sessões faz toda a diferença para que os benefícios da psicoterapia possam ser percebidos e o processo aconteça da melhor maneira possível. Não adianta escolher um psicólogo cuja localização seja um constante desafio, pois existe a chance de que os encontros semanais sejam sabotados pelo trânsito ou pelo cansaço.

Você pode utilizar essas questões para nortear sua escolha, mas a decisão acontece quando você está frente a frente com o profissional, na relação que se estabelece entre vocês, no quanto a condução do atendimento e o que ele disser fizerem sentido pra você.

Que você encontre um profissional que lhe ajude a caminhar em direção à realização de todas as suas potencialidades!




Priscila Provedel © Copyright - 2012. Todos os direitos reservados. Layout criado por Gabi Layouts